TwitterFacebook

Vinhos para celebrar e presentear neste fim de ano

Com mais de 90 rótulos em seu portfólio provenientes de 11 diferentes nacionalidades, Club Des Sommeliers, marca exclusiva do Extra e do Pão de Açúcar, conta com diversas opções de vinhos tintos, brancos e espumantes para harmonizar com os principais pratos das festas de final de ano e para presentear amigos que apreciam uma boa bebida.

Uma das novidades da marca é o Vinho Allegro, edição comemorativa dos 20 anos de parceria entre o Pão de Açúcar e o especialista em vinhos Carlos Cabral – enófilo responsável pela curadora dos vinhos de Club des Sommeliers –. Ideal para presentear, trata-se de um vinho chileno fino tinto seco, com notas de cedro e tabaco que são entregues pelo seu envelhecimento em barricas de carvalho francês e americano. Em boca é encorpado, com uma rica acidez, final longo e persistente. Apresenta aromas intensos e complexos de frutas vermelhas maduras e especiarias. O rótulo foi desenvolvido em parceria com Nicolás Bizarri, enólogo e diretor de vinificação da vinícola Luis Felipe Edwards, e chega às lojas do Pão de Açúcar por R$ 190.

A marca possui opções para todos os gostos, desde frisantes e vinhos jovens, que custam em média R$ 29,90, até a linha Gran Reserva, com preço em torno de R$ 89,90.

Confira as sugestões para as comemorações e para presentes especiais:

Allegro 750ml – Chile
Com coloração rubi profundo e tons granada, este vinho apresenta aromas intensos e complexos de frutas vermelhas maduras e especiarias. As notas de cedro e tabaco são entregues pelo seu envelhecimento em barricas de carvalho francês e americano. Em boca é poderoso, amplo e encorpado, com uma rica acidez, final longo e persistente. Harmoniza com carnes nobres de caça e assados de cordeiro, risotos de funghi e pasta com molhos bem temperados.

Espumante Brut Vibrant 750 ml – Brasil
Resultado de um corte de Chardonnay, Prosecco e Trebiano oriundas da Serra Gaúcha, o espumante conta com finos aromas de flores – como a acácia – e frutas – como maçã verde -, conferindo um sabor fresco. A bebida harmoniza de forma ideal com pratos como salada caprese, massas leves e frutos do mar.

Espumante Vibrant Demi Sec 750 ml – Brasil
Este espumante conta com aromas cítricos com notas de maçã verde e damasco, conferindo um sabor fresco e tornando o título ideal para acompanhar pratos agridoces e sobremesas, como creme de baunilha.

Lambrusco Bianco 750 ml – Itália
Elaborado na região da Emilia-Romagna, este clássico vinho italiano é um jovem frisante que se destaca pelo seu frescor e leveza. Semidoce, com bom frescor e notas cítricas, é ideal para acompanhar canapés e entradas frias.

Lambrusco Rosso:
Uma combinação típica das tradicionais uvas Lambrusco, este vinho frisante é leve, jovem e companheiro do dia a dia italiano. Semidoce e delicado, as notas de groselha dão o tom ideal para acompanhar entradas frias e queijos suaves. A bebida deve ser servida em temperatura mais baixa para uma melhor degustação.

Vinho do Porto Tawny 750 ml – Portugal
Vinho fortificado elaborado na região do Douro, que tem o título de primeira região demarcada do mundo. Tem aromas complexos e mostra evolução no paladar. Ideal para ser apreciado sozinho e acompanhando sobremesas, especialmente à base de frutas secas.

Vinho do Porto Ruby – Portugal
Vinho fortificado elaborado na região do Douro, que tem o título de primeira região demarcada do mundo. Tem aromas intensos de frutas maduras, é jovem, fresco e rico no paladar. Ideal para ser apreciado sozinho e acompanhando sobremesas, especialmente à base de chocolates.

Mostra de teatro IESB EM CENA

Se você gosta de teatro, não pode perder a programação do IESB EM CENA, projeto realizado pelos alunos do curso de Teatro do Centro Universitário IESB. A mostra vai até dia 8 de dezembro, no campus Edson Machado, 613/14 Sul e no Teatro Garagem, (SESC) 913 Sul, diariamente, das 20h às 22h. O evento é coordenado pelo professor Fernando Martins e produzido pelos alunos de graduação em Teatro.

Confira a programação para esta sexta (08):

20h-20h15: A FORÇA DA CAMÉLIA
Adaptação da obra “Camélia: o que há de mais gracioso“ de Ronaldo Ventura.
Direção e Encenação Teatral – Aluna Isis Castro – Prof. Denis Camargo.
Local: Sala Constantin Stanislavski – Subsolo Bl C – IESB 613 Sul.

20h-20h20: SOMBRA VIVA
Adaptação da obra “Valsa No. 6“ de Nelson Rodrigues.
Direção e Encenação Teatral – Aluno Gabriell Bentof – Prof. Denis Camargo.
Local: Sala Jacques Lecoq – Subsolo Bl C – IESB 613 Sul.

20h-21h30: AO SOM DO CHAPÉU COCO
Musical de Luana Proença inspirado nos filmes de Charles Chaplin com músicas de Duka Menezes, Ingrid Cardozo e Luana Proença.
Canto I: Elementos Musicais – 5° Semestre – Profª. Larissa Rosa.
Local: Sala Pina Baush – Subsolo Bl C – IESB 613 Sul.

20h25-20h30: A FORÇA DA CAMÉLIA
Adaptação da obra “Camélia: o que há de mais gracioso“ de Ronaldo Ventura.
Direção e Encenação Teatral – Aluna Isis Castro – Prof. Denis Camargo.
Local: Sala Constantin Stanislavski – Subsolo Bl C – IESB 613 Sul.

20h30-21h: QUANDO AS MÁQUINAS PARAM
Trecho de “Quando as Máquinas Param“ de Plínio Marcos.
Direção e Encenação Teatral – Aluno Leandro Vaz – Prof. Denis Camargo.
Local: Sala Bertold Brecht – Subsolo Bl C – IESB 613 Sul.

21h30 -22h: QUANDO AS MÁQUINAS PARAM
Trecho de “Quando as Máquinas Param“ de Plínio Marcos.
Direção e Encenação Teatral – Aluno Leandro Vaz- Prof. Denis Camargo.
Local: Sala Bertold Brecht – Subsolo Bl C – IESB 613 Sul.

XI edição do IESB Em Cena
Data: até 08/12/2017
Local: Campus Edson Machado, 613/14 Sul e Teatro Garagem, (SESC) 913 Sul.
Horário: das 20h às 22h
Entrada gratuita e aberta ao público
Mais informações na página oficial

Conheça a dispraxia, transtorno que afeta o ator de Harry Potter

O ator Daniel Radcliffe, que interpretou o famoso feiticeiro, Harry Potter, admitiu publicamente que sofre de dispraxia. Trata-se de um distúrbio neurológico associado com falta de coordenação. Em entrevistas, ele revelou que na infância tinha dificuldades, por exemplo, de amarrar os sapatos e ainda enfrentou tempos difíceis na escola por ter um péssimo desempenho.

Segundo a psicopedagoga e psicomotricista do Instituto NeuroSaber Luciana Brites, a dispraxia é uma incoordenação motora, resultado de uma dificuldade na realização de uma sequência de movimentos. “É uma disfunção no cérebro”. Ela comenta que essa disfunção não pode ser vista ou identificada por meio de exames, como o eletroencefalograma, ou ressonância magnética, já que essas alterações ocorrem em nível celular. “A dispraxia compromete muito as atividades motoras causando prejuízo na qualidade de vida e nas atividades do dia a dia”, explica Luciana.

A psicopedagoga diz que o transtorno pode ser identificado quando os pais ou professores notam que determinada criança ou adolescente não consegue ou tem dificuldade de executar atividades comuns no dia a dia como, por exemplo, comer, tomar banho ou se vestir sozinha. “Há diferentes níveis desse transtorno. O que irá distinguir será a gravidade do quadro. Ou seja, quanto maior for o prejuízo para a qualidade de vida do sujeito, maior é a gravidade”, relata.

Ainda de acordo com Luciana, pais e professores podem ajudar as crianças dando mais tempo para realizarem atividade motoras como escrever, além de estudar mais sobre o assunto. “Nesses casos, deve-se primar pela qualidade ao invés da quantidade de tarefas. É preferível pedir para escrever menos e sair bem do que escrever muito e ficar ruim. Por não ser uma doença, a dislexia não tem cura. Porém, com intervenções pode-se melhorar o quadro, principalmente se for detectado cedo” diz.

De acordo com a profissional, o tratamento deve incluir estimulação psicomotora por um psicomotricista ou terapeuta ocupacional, além de acompanhamento médico. Sobre medicação, ela explica que a dispraxia pode ser o transtorno principal ou ser uma comorbidade. “Há casos que a dispraxia pode vir acompanhada de um outro problema, como Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH). A medicação auxilia muito nesses casos, pois quando melhora o quadro de TDAH os problemas motores também melhoram” conclui.

Aulão de Direito Processual Penal e Direito Penal Militar para a PMDF

Concursandos de plantão, que buscam ingressar na carreira policial, poderão participar do aulão beneficente de Direito Processual Penal e Direito Penal Militar, voltado para a Polícia Militar do Distrito Federal, que será realizado pelo IMP Concursos, no sábado 09/12, na unidade da Asa Sul (603 Sul), das 8h15 às 11h50.

O aulão será ministrado pelos professores Carlos Alfama: Policial Legislativo Federal, aprovado em 1° lugar no concurso do Senado Federal de 2012. Professor de Direito Processual Penal e de Direito Penal em cursos preparatórios para concursos públicos, e Leandro Antunes: especialista em Direito Público, gestão estratégica da segurança pública e defesa civil. Bacharel em direito e ciências policiais. Oficial superior da PMDF, professor do Instituto Superior de Ciências Policiais – PMDF e em diversos cursos preparatórios, com ênfase nas carreiras policiais, há mais de 15 anos.

Interessados em participar devem realizar a pré-matrícula pelo site do IMP, porém, a inscrição só será confirmada após a doação de um brinquedo novo na secretaria do preparatório. As vagas são limitadas. Mais informações: 3029-9700.

70% de casos de autoridades que tramitam no STF e STJ são por corrupção

O Ministério Público Federal (MPF) informou que cerca de 70% dos casos envolvendo autoridades, em tramitação no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Superior Tribunal de Justiça (STJ), tratam de crimes relacionados à corrupção. O MPF e o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) promoveram nesta segunda-feira (4) um evento referente ao Dia Internacional de Combate à Corrupção, celebrado no dia 9 de dezembro.

Segundo o MPF, tramitam no Supremo 95 ações penais e 439 inquéritos relacionados a autoridades com prerrogativa de foro por função, como presidente da República, vice, deputados federais, senadores e ministros de Estado. No STJ, que julga casos de crimes comuns envolvendo governadores, desembargadores, membros do Ministério Público e conselheiros dos Tribunais de Contas, são 72 ações penais, 101 inquéritos e 54 sindicâncias.

Foto:Marcelo Camargo/Agência Brasil

Em 2017, foram pelo menos 40 operações de combate à corrupção executadas em todo o país pelo Ministério Público, em parceria com outros órgãos.

Para a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, nos últimos anos o MPF tem enfrentado a corrupção com muita persistência. “O Mensalão e a Lava Jato são marcos exitosos desta empreitada. Há um longo caminho pela frente […]. Antes, o risco de ser corrupto era quase zero, temos de aumentar esse risco com punições para desestimular os infratores”, disse.

Acordos

O MPF já firmou 18 acordos de leniência com empresas investigadas em casos de corrupção, em 2017, envolvendo valores que chegam a R$ 24 bilhões. O instrumento de acordo de leniência foi criado em 2013 e trata da responsabilização administrativa e civil de empresas pela prática de atos contra a administração pública. O objetivo do acordo é identificar outros envolvidos na infração e devolver os valores desviados aos cofres públicos.

Raquel Dodge. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Para o MPF, o acordo de leniência, junto com o acordo de delação premiada, também de 2013, tem sido fundamental na repressão estatal de ilícitos, ao quebrar o pacto de silêncio entre os envolvidos. A delação premiada estabelece redução da pena para a pessoa que colaborar de forma voluntária com a investigação. Apenas nos processos relativos à Operação Lava Jato em tramitação no Supremo Tribunal Federal (STF), cerca de 200 pessoas tiveram acordos homologados, além de outros 93 firmados em primeira instância.

“A corrupção precisa cessar. Temos instrumentos novos que continuaremos usando: a colaboração premiada, os acordos de leniência, as forças-tarefas, a execução da pena após a condenação em segunda instância, a lei da ficha limpa”, disse Raquel.

“Se a corrupção continuar em níveis tão elevados e perdermos os instrumentos jurídicos que realmente nos permitem enfrentá-la, o Brasil sofrerá um duro golpe de perder o futuro promissor e ter de viver em um presente marcado pela desonestidade e pela desconfiança”, disse.

Eleição 2018

Os procuradores presentes no evento na sede da Procuradoria-Geral da República também criaram um comitê permanente e firmaram um termo de cooperação com o objetivo de prevenir e reprimir a corrupção eleitoral em 2018. Os membros dos ministérios públicos Eleitoral e de Contas se comprometeram a aprimorar a fiscalização de ilícitos eleitorais e atuar de forma estratégica para impedir a prática de crimes durante as eleições.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

“Estamos ampliando e capilarizando, por meio dos pactos e termos de ação conjunta, as nossas ações contra a corrupção. Ao atuarmos juntos, esperamos fortalecer os efeitos do nosso trabalho para alcançar mais rapidamente um bom resultado”, disse Raquel.

O Comitê Permanente do MP Brasileiro para as Eleições de 2018, já faz parte dos pactos assinados hoje entre os procuradores que reafirmam o compromisso do Ministério Público no combate à corrupção. Os pactos envolvem o Comitê Permanente, o Ministério Público, o Conselho Nacional de Procuradores-Gerais dos Ministérios Públicos dos Estados e da União (CNPG), a Associação Nacional do Ministério Público de Contas e o Conselho Nacional de Procuradores-Gerais de Contas.

#TodosJuntosContraCorrupção

Foram apresentados também os primeiros resultados da campanha #TodosJuntosContraCorrupção. Lançada em setembro deste ano pelo Comitê Permanente do Ministério Público, a iniciativa tem por objetivo fomentar as discussões sobre o combate à corrupção nos mais diversos ambientes, fazendo com que a sociedade reflita sobre o impacto desses atos no cotidiano.

Planejada dentro do Programa Nacional de Prevenção Primária à Corrupção, da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (Enccla), a campanha selecionou, por meio de chamamento público, as melhores iniciativas de prevenção primária e de combate à corrupção desenvolvidas pela sociedade civil. Ao todo, foram recebidas 90 propostas. Hoje, 22 delas foram reconhecidas, com a entrega de certificação.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Para o presidente do Observatório Social do Brasil, Ney Ribas, é preciso despertar a consciência do cidadão de que a prevenção à corrupção diz respeito a todos. “A corrupção inicia dentro da nossa casa, nas atitudes, nos nossos pequenos delitos e não podemos esquecer que cada exemplo que damos será referência para nossos filhos e nossos netos”, disse, representando a sociedade civil no evento. “Ou trilhamos o caminho da grandeza ou havemos de colher os frutos da mediocridade”.

Parte das propostas enviadas ficará disponível em banco na internet, para permitir a replicação das iniciativas. Na seleção, foram consideras as ações direcionadas para a formação de cidadãos conscientes e ativos nas ações de controle social. Entre os requisitos é que o projeto apontasse o número de pessoas impactadas com cada ação, os efeitos esperados e a possibilidade de implementação em outras localidades.

Para a advogada-geral da União, Grace Mendonça, também presente no evento, é preciso concentrar esforços para extrair a corrupção da vida de todos. E uma das formas para atingir esse objetivo, de mudança de postura com a coisa pública, é a educação. “Não vamos conseguir eliminar a corrupção das relações sem uma política séria que passe também pela educação”, disse.

Laço da Consciência

Para lembrar sobre a importância do enfrentamento à corrupção em todas as esferas da sociedade, foi lançado durante o evento a campanha do laço branco, o Laço da Consciência Contra a Corrupção, para marcar o Dezembro contra a Corrupção.

Segundo o MPF, a ideia é que o adereço ressalte a luta contra a corrupção e lembre as pessoas que a mudança na cultura do país depende das atitudes de cada um e que idoneidade e honestidade devem ser praticados a todo instante.

Fonte: EBC

Categorias

Sobre

Redes Sociais

Mais…

Your browser doesn't support canvas.